Um milhão de portugueses capacitados para o digital até 2023
Publicada por Maria Paula Custódio, em 2021-08-02 (há 2 meses)

O Ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital, Pedro Siza Vieira, no encerramento do evento, salientou a concretização desta medida emblemática do Plano de Ação para a Transição Digital e o impacto que terá na nossa economia e a capacitação digital de 10% da nossa população.

«Este é um programa essencial para o nosso futuro coletivo, que nos permite dizer que as tecnologias digitais nos vão ajudar a construir um País mais próspero, mais produtivo e eficiente, e, ao mesmo tempo, garantir que não deixamos ninguém para trás», afirmou.

Esta iniciativa irá apoiar adultos que nunca utilizaram a internet, através de ações de capacitação digital desenvolvidas por voluntários no contexto familiar ou em locais de proximidade na comunidade, como Juntas de Freguesia, escolas, lares, entre outros, criando uma geração de novos digitais. Mais do que ligar as pessoas através da internet, este Programa de âmbito nacional pretende combater o isolamento e tornar mais fácil o dia a dia dos portugueses.

A Caixa Geral de Depósitos é o investidor social desta iniciativa, que está inscrita no Plano de Ação de Transição Digital, promovida pelo MUDA, Movimento pela Utilização Digital Ativa, conta com o apoio da Estrutura de Missão Portugal Digital e é cofinanciado pelo Portugal Inovação Social, Programa Operacional Inclusão Social e Emprego, Portugal 2020 e pela União Europeia.

Para Paulo Moita de Macedo, o Presidente da Comissão Executiva da Caixa Geral de Depósitos, «a Caixa tem no seu plano estratégico a transformação digital como prioridade, mas também a inclusão digital. O nosso contributo, enquanto motor de progresso do País, das famílias e das Empresas, passa também por não deixar ninguém para trás. Assumimos assim, de uma forma natural, o papel de investidores sociais e promotores principais do Programa EUSOUDIGITAL».

O Programa visa contribuir para alterar o panorama digital em Portugal: em 2020, a percentagem da população que nunca utilizou a internet chegava aos 18%. O objetivo é colocar este indicador abaixo dos 10%, até ao final de 2023, tornando Portugal mais avançado, inclusivo e participativo.

Todos podem participar no EUSOUDIGITAL – seja sob a forma de mentores, alunos ou parceiros do Programa, uma vez que qualquer cidadão, a partir dos 18 anos, pode voluntariar-se para ser um dos milhares de mentores e ajudar os seus pais, avós ou amigos a dar os primeiros passos na internet.

Alexandre Nilo Fonseca, Presidente executivo do MUDA, Movimento pela Utilização Ativa, sublinhou que «com a pandemia, os atuais utilizadores de Internet (82% da população portuguesa) aumentaram em muito a frequência, bem como a sofisticação com que utilizam a internet. Por contraste, 2 em cada 10 portugueses nunca utilizou a internet e não está ainda a beneficiar de todas as vantagens que a internet permite – seja no combate ao isolamento, no incremento das competências básicas para o emprego e no acesso aos serviços digitais do Estado e das empresas. O EUSOUDIGITAL pretende ajudar quem mais precisa».

Qualquer adulto pode inscrever-se como aluno e agendar a sua sessão de capacitação digital, onde irá aprender a pesquisar e navegar na internet, criar uma identidade digital, uma conta pessoal numa rede social ou usar o correio eletrónico, de forma simples e gratuita.

Também Municípios, Juntas de Freguesia, instituições de ensino, associações, empresas e qualquer tipo de organizações privadas, podem aderir ao Programa, disponibilizando os seus espaços para acolher um Centro EUSOUDIGITAL, numa rede de parceiros unidos com o mesmo propósito: levar a internet a mais de um milhão de adultos.

Fonte: Portal do Governo